Alisson e Zhang Xilong - Turismo on line

China e Brasil aproximam-se para incrementar fluxo turístico

Embratur participa de evento do Turismo da China e pretende intensificar ações para abertura deste mercado estratégico

Alisson Andrade, da Embratur, apresenta o Destino Brasil para os operadores e autoridades da China. Foto: Bo Wei

A China é o principal emissor de turistas pelo mundo. Em 2017, mais de 135 milhões chineses viajaram entre duas fronteiras, mas apenas 61,2 mil visitaram o Brasil. Atenta a esta lacuna e oportunidade de crescimento a Embratur tem promovido ações de aproximação visando a abertura deste mercado. Na última sexta-feira (19), em São Paulo, o instituto participou da “Noite do Turismo da China”, evento que visa aproximação e estreitar o relacionamento com o trade brasileiro para gerar negócios. Na oportunidade, a Embratur realizou apresentação sobre o Destino Brasil, voltada para os operadores e autoridades governamentais da China. A apresentação, além de ressaltar a amizade histórica entre os países, enfatizou destinos que o Brasil oferece, em particular, segmentos de ecoturismo e cultura.

A “Noite de Turismo da China 2018 – Bela China: O charme do Rio Yangtzé” foi o primeiro evento oficial na América Latina promovido pelo Escritório do Turismo da China. Autoridades de 15 destinos da região e 32 profissionais chineses se reuniram com agentes e operadores brasileiros para trocar experiências. O anfitrião do jantar foi Zhang Xilong, vice-diretor geral do Departamento de Intercâmbio internacional e Cooperação do Ministério da Cultura e Turismo da República Popular da China, e contou com a presença de Alisson Andrade, coordenador-geral de Inteligência Competitiva e Mercadológica do Turismo da Embratur, Orlando Faria, Secretário de Turismo de São Paulo e da presidente da Braztoa e vice-presidente da Abav, Magda Nassar.   A presidente da Embratur, Teté Bezerra, destaca que o instituto reconhece a importância da China no setor de turismo, tanto que, em 2018, o país foi incluído na lista de mercados considerados estratégicos para a promoção dos produtos e destinos turísticos brasileiros no exterior. “O Governo Federal tem promovido ações para estimular a vinda de mais turistas chineses ao país, o que proporciona entrada de divisas e geração de empregos. Recentemente foi ampliada para cinco anos a validade do visto para o turista chinês que deseja visitar o Brasil e o procedimento para solicitação do documento foi simplificado.” afirma.

Allison Andrade e Zhang Xilong, do Ministério da Cultura e Turismo da República Popular da China. Foto:Bo Wei

Este ano, a Embratur promoveu a maior missão brasileira voltada especificamente para o turismo na China com o fortalecimento de ações conjuntas com países sul-americanos como a Argentina, para promoção de roteiros integrados. Foz do Iguaçu foi apresentado especialmente por ser um destino compartilhado entre os dois países e com grande potencial para o Ecoturismo e o Turismo de Natureza, segmentos que agradam o perfil do turista chinês. Em maio, o instituto levou o estande do Brasil para a ITB China em Shanghai, maior feira de turismo do continente asiático, com uma comitiva de 12 organizações brasileiras dos setores público e privado para fechar negócios com os receptivos chineses.

Foram promovidos também roadshows em Pequim, Shanghai, Cantão e Hong Kong, com a presença de mais de 600 representantes de empresas do trade turístico chinês. Em parceria com a Argentina, destinos e atrativos dos dois países sul-americanos foram apresentados a empresas, operadores, emissivos, agências governamentais, agências de turismo e companhias aéreas chinesas. Além de Foz, outros destinos que também são demandados pelo público chinês, foram apresentados ao trade como é o caso de Rio de Janeiro, Manaus e o Pantanal, conhecidos por oferecer atrativos com foco nos segmentos de Ecoturismo e Turismo de Aventura.  Também este ano, a Coordenação-Geral de Inteligência Competitiva e Mercadológica do Turismo da Embratur lançou o novo produto “Mercado China”, com informações específicas do turismo chinês. O material foi desenvolvido com o intuito de aumentar a compreensão sobre o mercado chinês para facilitar a atuação no mercado. O documento, com as características gerais sobre o mercado chinês, está disponível no site http://trade.visitbrasil.com

Segundo Alisson Andrade, coordenador-geral de Inteligência Competitiva e Mercadológica do Turismo da Embratur, a ideia do documento visa subsidiar o trade nacional com informações da China, para que as empresas nacionais entendam as tendências e oportunidades daquele país e atendam às exigências dos turistas chineses.  Para ele, a participação na “Noite do Turismo da China” e todas as ações em andamento, como o trabalho com o trade chinês, a possibilidade de abertura de mais voos, estímulo ao público final com aumento na promoção e o avanço na aproximação, do governo e setor privado, entre Brasil e China podem gerar grandes resultados para o turismo.  “A China é, desde 2009, o principal parceiro do Brasil no comércio exterior. A corrente de comércio alcançou US$ 74,8 bilhões no ano passado. Chegou a hora de também aprofundarmos nossos laços na indústria do turismo. A Embratur vislumbra um grande potencial para que mais chineses conheçam o Brasil e se encantarem com nossa natureza, povo e cultura”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *