Encatho divulga perfil hoteleiro catarinense

Mapeamento do perfil hoteleiro em Santa Catarina é divulgado no Encatho

 

Encatho & Exprotel 2018 - Turismo on line

 

Conhecer profundamente o cenário hoteleiro catarinense, segmento fundamental na atividade turística, motivou a realização do estudo da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina- Fecomércio SC em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis Santa Catarina – ABIH SC, que traçou o Perfil Hoteleiro de Santa Catarina.

“Pretendemos  com esse levantamento construir informações relevantes que auxiliem e fomentem o desenvolvimento da hotelaria catarinense”, afirmou o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt. Para o presidente da ABIH, Osmar Vailatti, a parceria entre as entidades  agrega valor e representatividade  “É de suma importância termos noção do tamanho e analisarmos os números do segmento que atuamos”, avaliou Vailatti.

Acesse a pesquisa na íntegra

A pesquisa apurou informações sobre a realidade do setor, procurando apresentar os elementos próprios da atividade hoteleira como infraestrutura, unidades habitacionais, taxas de ocupação e diversidade dos serviços prestados.

Entre as características levantadas, o hotel é o meio de hospedagem mais presente no Estado (63,4%), prevalece a gestão familiar (74,2%) e a média do número de empregados chega a 20,6 por empresa.

Os indicadores também demonstram o percentual de adaptação dos hotéis para as mais diversas necessidades dos hóspedes. Atualmente 57,7% das unidades habitacionais possuem acessibilidade, mas apenas 44,1% ofertam segurança e acessibilidade em todo o estabelecimento. Quadro parecido também na disponibilização de piscina, mais da metade não possui (54,5%) e significativos 78,6% não ofertam nenhum tipo de ambiente fitness aos hóspedes.

Conectados com o mercado

O turismo representa hoje, para Santa Catarina, 12,5% do PIB estadual, gerando emprego e renda e os empresários hoteleiros estão atentos ao cenário promissor. A pesquisa apontou percentual significativo de meios de hospedagens que trabalham com empregados bilíngues 70,4%. Os meios de hospedagens catarinenses estão antenados à realidade das agências de viagem on-line (OTA) com 83,8% utilizando esse recurso.

A pesquisa também trouxe os números do setor de 2017 referentes a todo o grupo de meios de hospedagens que apresentaram uma taxa de ocupação estadual de 56%, com destaque para a região da Grande Florianópolis com expressivos 59,7%. Em média os hóspedes gastaram com diárias o valor de R$224,00, com tempo de permanência médio de 2,81 dias.

Destaques do perfil hoteleiro catarinense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *