Turismo Nacional – Embratur chega aos 52 anos com muito trabalho

Instituto busca se reinventar para acompanhar os avanços do setor de turismo no mundo

 

Embratur 52 anos - Turismo on line

 

Criada em 1966, a Embratur completou neste domingo, dia 18 de novembro, 52 anos. Naquela época, o País recebia 133 mil visitantes. Atualmente, com a missão de promover e divulgar os destinos turísticos brasileiros no exterior, o Instituto celebra os 6,6 milhões de turistas estrangeiros que chegam anualmente ao País, quando o Brasil atinge o ápice de exposição internacional, após um ciclo de grandes eventos bem-sucedidos.

Passando por diversas mudanças estruturais ao longo dessas cinco décadas, a Embratur mudou de empresa para autarquia, e passou a se chamar Instituto Brasileiro de Turismo e, em 1990, transferiu seu escritório do Rio de Janeiro para a sede do Governo Federal, em Brasília.

Seguindo o mercado internacional, o Instituto atravessa um momento de transformação e busca se reinventar para acompanhar os avanços do setor no mundo. A digitalização na promoção é um dos pontos focais da atuação do órgão, desenvolvendo diversos canais para auxiliar a comercialização de serviços dos empresários brasileiros, como o Visit Brasil Marketplace. Nos últimos meses, os esforços da Embratur concentraram-se nos mercados considerados prioritários, com foco em ações em ferramentas digitais.

 

Teé Bezerra - Turismo on Line

 

“O progresso tecnológico no turismo deve ser acompanhado também pelas instituições públicas que auxiliam o desenvolvimento e a gestão da atividade. Estamos atentos às melhores práticas mundiais e dispostos a modernizar o nosso modelo de atuação para melhor atender o mercado e atrair mais turistas internacionais para o Brasil”, afirma a presidente da Embratur, Teté Bezerra.

Embratur 42 anos - Turismo on line

 

Para aproveitar o grande fluxo de cidadãos de todas as partes do mundo que foram à Rússia para acompanhar a Copa do Mundo, em junho, a Embratur fez um investimento de comunicação que envolveu a exposição de mais de 130 painéis com imagens de atrações turísticas do Brasil, ações de mídia aeroportuária, vídeos, ônibus de turismo envelopado – que contou com três pockets shows do cantor Diogo Nogueira – e ações com influenciadores. Em todas essas iniciativas, o Instituto trabalhou o conceito “Happy by Nature” (ou Felizes por Natureza), inspirado nas impressões que os estrangeiros relataram a respeito Brasil após os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. “Durante o evento realizado no Rio de Janeiro e em outros destinos, uma pesquisa mostrou que 98% dos turistas estrangeiros que visitaram o Brasil elencaram a hospitalidade do brasileiro como diferencial. Esse dado foi um dos balizadores da estratégia da campanha”, conta a presidente da Embratur, Teté Bezerra.

Para ela, existe uma verdadeira corrida mundial para disputar a preferência do turista internacional. “E para entrarmos, de fato, nesta disputa, precisamos estar preparados, atualizando nossas ferramentas e buscando mais recursos”, destaca a presidente. De acordo com Teté Bezerra, uma das saídas para maior exposição do Brasil no exterior é a integração entre os países sul-americanos.

“Estivemos, no primeiro semestre de 2018, com representantes da Argentina durante missão na China para divulgarmos, entre outros atrativos, as Cataratas do Iguaçu, que é compartilhado entre Brasil, Argentina e Paraguai. No Chile, durante a FIEXPO, feira voltada para o turismo de Negócios, voltamos a incentivar a união de destinos dos continentes em planos de viagem. Esse segmento, por exemplo, tem gerado cada vez mais visibilidade para a economia turística do nosso País. Portanto, apostamos na integração de roteiros de destinos dos países latino-americanos. A iniciativa amplia os ganhos de todos”, garante a presidente.

Ao todo, somente em 2018, a Embratur já marcou presença em 15 feiras de turismo internacionais. Para fechar o ciclo, haverá participação na IBTM WORLD, em Barcelona, na Espanha, de 27 a 29 de novembro. Durante essas ações, além de promover o relacionamento entre o trade brasileiro e os representantes internacionais, o Instituto realiza diversos encontros e reuniões, principalmente, com companhias aéreas no intuito de ampliar a conectividade com o Brasil.

Outro aspecto é a implantação do visto eletrônico para americanos, canadenses, japoneses e australianos. Desde o início deste ano, cidadãos dessas quatro nacionalidades não precisam mais comparecer pessoalmente em consulados brasileiros, nem contratar despachantes para obter autorização de entrada no País. O programa de visto de visita por meio eletrônico é resultado de uma ação conjunta do Ministério das Relações Exteriores, Ministério do Turismo e Embratur para gerar rapidez e comodidade à solicitação de visto para o Brasil e aumenta a eficiência na prestação dos serviços consulares. O projeto elevou em 39% o número de vistos concedidos a visitantes desses países.

Além disso, para facilitar e aumentar ainda mais a entrada de visitantes internacionais no Brasil, a Embratur aposta no fortalecimento do setor aéreo. “A inclusão de novos voos internacionais abre para o Brasil a possibilidade de maior conectividade do exterior para os destinos turísticos brasileiros e, consequentemente, dá novo impulso ao turismo”, completa a presidente do Instituto, Teté Bezerra. A estimativa é um aumento de 98 voos novos e frequências adicionais semanais para os próximos meses.

Durante as ações promovidas ao longo do ano, a Embratur priorizou o aumento de conectividade com as companhias aéreas estrangeiras. A agenda de reuniões e encontros teve como objetivo abrir portas para a inclusão de novos voos internacionais e a possibilidade de mais visitas de estrangeiros aos destinos turísticos brasileiros. As empresas aéreas conhecidas como low cost são exemplos de como o Brasil está se abrindo para novas demandas. Desde outubro deste ano, a companhia Sky Airline, uma low cost chilena, opera voos de Santiago, no Chile, para Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis. Nesta quinta-feira, dia 15 de novembro, a Norwegian Air UK foi autorizada a iniciar a venda de passagens entre Londres e Rio de Janeiro. A previsão é que o primeiro voo da empresa, especializada em baixo custo, aconteça em março de 2019.

Ao completar 52 anos, a Embratur vive um momento de celebração pelas conquistas dos últimos anos e também de uma arrojada transformação. As ferramentas digitais da integram as estratégias de alinhamento de ações do Instituto que projetam alcançar o desempenho de países concorrentes do Brasil, que têm investido fortemente na promoção turística internacional.

A presidente da Embratur, Teté Bezerra, lançou, em setembro de 2018, os novos produtos digitais do Instituto voltados para o público final. São dois novos portais: o Parques Temáticos (http://themeparks.visitbrasil.com/) e o Surf Brasil (http://surf.visitbrasil.com/), com informações segmentadas para os turistas que buscam informações sobre esses dois nichos específicos, além da nova plataforma Visit Brasil Marketplace (http://marketplace.visitbrasil.com/), com foco no trade internacional. O objetivo dos sites é melhorar a experiência dos visitantes estrangeiros no País.

Os produtos fazem parte da estratégia de digitalização da atuação do Instituto e da busca constante por inovação nesta atividade que, cada vez mais, é impactada pelos avanços tecnológicos e as mudanças no processo de comercialização do turismo, desde a pesquisa sobre os atrativos dos destinos, passando pela procura por passagens e meios de hospedagem, até a compra das viagens.

“Este é o momento de aproveitar a onda positiva que veio com a maré do sucesso dos grandes eventos sediados pelo País nos últimos dez anos, que culminou nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, e colocaram de vez o Brasil no imaginário do turista internacional. Somos, no mundo, o país com maior potencial de recursos naturais, por exemplo. Apostamos em um novo posicionamento no mercado, que a cada ano atinge um nível mais profissional. Com isso, o produto turístico brasileiro se tornará mais competitivo e a conversão do potencial em resultados práticos se torna verossímil”, finaliza a presidente da Embratur, Teté Bezerra.

Linha do tempo

Dentre os principais marcos dos 52 anos da Embratur, lista-se a criação da entidade (1966), a mudança da sede do Rio de Janeiro para Brasília (1990), a criação do Programa Nacional de Municipalização do Turismo (1995) e do Ministério do Turismo (2003), além do momento, no mesmo ano, em que o Instituto passou a responder pela promoção, marketing e comercialização dos produtos turísticos brasileiros no exterior. Também receberam destaque a criação da Marca Brasil e o lançamento do Plano Aquarela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *